AKHAL-TEKE

Autor: Lúcia Helena Salvetti De Cicco

O AKHAL-TEKE é um cavalo de estatura mediana, quase sempre de pelagem dourada, com um físico mais longo do que encorpado.

Tem todas as características do cavalo do deserto: magro de pele fina, resistente ao calor. A cabeça possui um perfil reto, a ganacha é desproporcionalmente larga em relação ao focinho e as orelhas são grandes. A cernelha é acentuada e a garupa é caída, com a resultante inserção baixa da cauda.

De um modo geral, esta raça exibe permanente agressividade, com as orelhas para trás, achatadas contra a cabeça, e dentes à mostra.

Talvez haja até uma relação entre o AKHAL-TEKE e o ARABE MUNAGHI, raça de cavalos de corrida. O AKHAL-TEKE existe há mais de três mil anos na área da atual Turcomênia. É oriundo dos oásis do deserto de KaraKum, com suas colinas áridas e suas depressões. O principal centro de criação fica em Ashkahabad, no sopé dos montes Kopet-Dag, a 30 km da fronteira com o Irã.

A raça contribuiu para o aperfeiçoamento de muitas outras sem ser influenciada por nenhuma. Os turcomanos tinham o AKHAL-TEKE como cavalo de corridas, preparando-o para isso com extremo cuidado: dieta de alfafa, bolas de gordura de carneiro, ovos, cevada e bolos de farinha. Para defendê-los do calor e do frio, esses corredores eram envolvidos pelos seus criadores em mantas de feltro.

O AKHAL-TEKE não se ajusta aos padrões ocidentais. O cavalo tem robustez e resistência sem limites, e seu desempenho, cobrindo distâncias imensas em condições desérticas, é excepcional.

Conta-se que um animal cobriu 4.152 km em 84 dias, distância entre Ashkabad e Moscou, atravessando mais de 400 km de deserto, com ração mínima de alimento e água.


Fonte: www.saudeanimal.com.br